19 de mai de 2014

Novas leituras de Machado de Assis


Há alguns dias circula o debate sobre a polêmica da simplificação da obra de Machado Assis, projeto da escritora Patrícia Secco, com apoio da Lei de incentivo à cultura. A autora, que fez uma versão de "o Alienista" alega trabalhar pelo acesso à leitura.  Lembramos que a obra completa de Machado de Assis está disponível no site Domínio Público. Cabe ao professor em sala de aula trabalhar para tornar compreensível as obras clássicas. Nivelar a compreensão por baixo parece coisa de alienista. Mas também há muita hipocrisia nas críticas. Obras são adaptadas o tempo todo, para o cinema, para o teatro, quadrinhos etc. Na música há versões maravilhosas de clássicos e nem por isso se esquece os originais. Traduções de obras seriam impossíveis então. E sim, têm traduções ótimas e podres e ninguém vai por no lixo os originais. Cabe, sem dúvida, um aviso em letras garrafais na capa que se trata de uma RELEITURA, ou seja é outro texto.

Sem entrar no debate e já entrando, através da ficção, no texto abaixo toquei no assunto fazendo, justamente, uma releitura (e não versão) de um conto de Machado, "Teoria do Medalhão" (procure o original aqui).  Usando somente diálogos, conforme prometido outro dia (aqui), faz-se uma crítica às conversas pra boi dormir (e quase tudo nessa vida é), sem perder de vista o método dialético apropriado à construção (tese, antítese e síntese).  

Boas (re) leituras! 
Também publicado no:

Nenhum comentário: