5 de abr de 2013

Ensaio sobre a chinelice

Faz alguns dias que venho meditando nas diferenças entre chinelagem e chinelice. A boa filosofia é assim. Não chega de salto alto. É geometria que não deforma. É niilismo que não tem cheiro. É teoria das cordas que não solta as tiras. 

Bueno, pra começar ambas as expressões são falas aqui do sul. Lá pra arriba o povo nem sabe o que significa. Pelo menos não com o mesmo nome. Grosso modo, os dois termos indicam uma atitude ou coisa de mau gosto. Que pega mal. Pior que rastaquera e babaquara. É a tosqueira elevada ao totalmente sem noção. Mas, veja bem. Não denotam a mesma coisa. Há uma sutileza no emprego das duas palavras que deve ser observada para não tropeçarmos na hora da chinelada pejorativa. 

Gostaria de ter dados etimológicos para enriquecer o texto. Tipo chinelagem ter sua origem numa palavra francesa - "chinelage", recebendo em português a letra ême no final, como aconteceu com garage. Ou ainda que chinelice viesse do anglo-saxão e sua pronúncia fosse como nice ou rice no original, "chinelaice". Mas nada disso. Advém de chinelo mesmo. Do bom e velho de dedo. É coisa de pobre com orgulho. 

Certa vez, adolescente, nas pegadas das minhas autênticas sandálias de solinha branca e tira azul achava as ruas de Porto Alegre. Foi quando me deparei com uma gangue num beco da zona norte. Pensei lá com meus pranchões que estava lascado. Antes de passarem direto ouvi o líder dizer: ah, não! Deixa pra lá! Tá de chinelinho de dedo. Esse é o ponto, leitor. Assaltar é chinelagem. Assaltar alguém de chinelos seria chinelice demais. É a única vez de que me lembro de ser salvo pela minha chinelagem. 


Andar de chinelos na rua pode ser considerado uma metachinelagem. Por outro lado, meter clipes na tira arrebentada é de uma chinelice pleonástica viciosa. E por aí vai. Faça você o teste do pezinho. Olhar novela e Raul Gil? Chinelagem. Big Brother e Ratinho? Chinelice. Chevette 84? Chinelagem. Chevette 84 rebaixado, com película, aerofólio e som no porta-malas? Chinelice! Arrombar o chevetão pra levar o rádio? Chinelagem. Comprar o fruto desse furto? Chinelice. Chinelice é opção de vida. Quer um exemplo bem atual? Pastor homofóbico e racista? Chinelagem. Colocar o cara em comissão de direitos humanos? Entendeu? 


Mas a chinela em forma de ípsilon tem a sua história. Os mais antigos pares, elaborados com tiras de papiro trançado, foram encontrados no Egito. A inspiração, contudo, é atribuída aos antigos similares japoneses. Possuíam um solado de palha de arroz que originou o padrão do estampado de borracha que usamos atualmente, com aqueles grãozinhos. Fazer aquele típico barulho de chinelo batendo ao caminhar? Chinelice total! Aliás, aqui dá pra comparar o termo. Em inglês, a tal sandália se chama de flip-flops. Onomatopeia que se encontra também no francês - schlappe. Lindo, né? 

Entretanto, todos esses valores deverão ser revistos em breve, pois o calçado ganhou várias cores e padrões em modelos abertos e fechados. Virou chique, afinal todo mundo usa. Pode ser encontrado da vendinha na esquina às Galerias Lafayette em Paris. 

Agora me ocorreu uma dúvida. Escrever sobre um tema chinelo desses é chinelagem ou chinelice?

Nenhum comentário: