2 de jul de 2012

Premiação




Um comentário:

Vitor Biasoli disse...

Parabéns, Ezequiel. Ainda pouco falava que Pelotas tem uma relação ambígua com o passado escravocrata: festeja o Negrinho do Pastoreio e oculta a escravaria das charqueadas.
Teu conto tem como personagem um escravo - confere? Fiquei curioso para saber o tratamento que dás ao sujeito.