31 de mar de 2010

História, crônica e ação!


O diretor e roteirista Gustavo Fogaça esteve em Pelotas capturando algumas tomadas de seu primeiro longa “A Casa Elétrica”. Produzido pela Panda Filmes, a película contará a história da criação de uma das primeiras fábricas de gramofones e discos do Brasil, a Elétrica. A gravadora funcionou em Porto Alegre entre 1913 e 1924, lançando vários discos sob o selo “Gaúcho”. No elenco, o italiano Nicola Siri (Valsa para Bruno Stein), Leonardo Machado (Viver a Vida), Oscar Simch (Homens de Perto).

Gustavo dirige ainda sua irmã, Carmela Paglioli, e seu pai, o Prefeito de Porto Alegre, José Fogaça, que estreará como ator interpretando José Montaury, intendente da capital gaúcha na época.

As filmagens agitaram o quarteirão histórico no centro de Pelotas nesta segunda-feira. As tomadas foram captadas em frente ao Teatro Guarani, além de outros pontos antigos da cidade. A organização de figurinos, cenários e equipamentos despertou o olhar curioso dos que transitavam nas imediações. Alguns motoristas se incomodaram com o fechamento da Lobo da Costa e da Gonçalves Chaves, ruas próximas às locações.

Pelotas, que conserva rico patrimônio histórico de casarões e fachadas do período de maior pujança da produção de charque no século XIX, tem agora chamado atenção de cineastas para sua bela fotografia. Esta aí uma nova identidade para a cidade, o que deve orgulhar seus moradores, recebendo bem quem trará luz, câmeras e ação à Princesa do Sul.

(Texto publicado no site E-Cult
Fotos do autor - Teatro Guarany)

                                                                                              

2 comentários:

Auricélia disse...

Gostei muito de seu blog, dos textos etc...vou colocar o seu link em meu blog, tá? Abçs e parabéns!

Márcio Ezequiel disse...

Ok. Já visitei tb teus dias felizes e o blog de redação. As coisas simples realmente fazem a vida melhor. Parabéns!!!
Volte sempre.