5 de jan de 2008

Parábolas de Ezequiel

A Dracma Perdida
O governo é semelhante ao homem que guarda os carros. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça. Eis que um certo dia o guardador não arrumou nenhum trocado. Já no fim da tarde estava com sua atenção voltada para um último automóvel estacionado, muito fino, para buscar o seu pagamento. Então se aproximou outro homem, bem mais pobre do que aquele, puxando uma carroça de recolher lixo. Seu dia havia sido de melhor sorte e o carrinho estava cheio de latas e plásticos e papelões e restos de alimento. O guardador, porém, lhe ordenou: dá um dinheiro! O pobre tinha apenas uma moeda, mas a deitou na mão de seu usurpador com a face de César voltada para cima. Enquanto isso o carro do homem rico saía sem deixar trocado algum. Porque àquele que tem, se dará, e terá em abundância; mas àquele que não tem, até aquilo que tem lhe será tirado. No fim, alguém sempre paga a conta. Por isso lhes falo por parábolas; porque eles, vendo, não vêem; e, ouvindo, não ouvem nem compreendem.

2 comentários:

My ra disse...

Huahuhauhauah é vero!

Márcio Ezequiel disse...

Obrigado pela visita e pelos diversos comentários, Maira. Volte sempre!
Abraço!