6 de jan de 2008

Parábolas de Ezequiel - II











Fotografia:
Paul Schiek, Untitled, 2004.



O Sujo


O governo é semelhante a um homem que não possuía dinheiro suficiente para comprar ungüentos para passar nas suas axilas ou sabão para lavar os pés. E fazia manhã e tarde e suava. E comprasse a mirra, não lhe sobrava para comprar sabão. E comprasse sabão, já nada possuiria para comprar a mirra. Bem-aventurados os vossos olhos, porque vêem, e os vossos narizes, porque cheiram. Assim, em verdade vos digo que até o final do dia algo acabará cheirando mal. Porque muitos profetas e justos desejaram ver o que vós vedes, e não o viram; e cheirar o que vós cheirais, e não o cheiraram.

2 comentários:

My ra disse...

Huhauhauhuauah tu és genial!

Márcio Ezequiel disse...

Amém, irmã!